Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Queques de cenoura e aveia

por Catarina Ferreira, em 20.03.18

Muffins1.png

Não tinha planeado publicar esta receita (tanto que nem fotografei estas pequenas maravilhas como gostaria!), mas recebi tantos pedidos no meu Instagram que decidi partilhá-la de qualquer das formas, até porque saiu tão bem que quando quiser repeti-la não me quero esquecer de como a fiz!

 

Quem mais adora queques? São saborosos, práticos e, quando são saudáveis como estes, até podemos comer mais do que um sem sentir aquela dentadinha de culpa que vem sempre servida com um queque de pastelaria.

 

Além disso, os queques que hoje vos trago são SUPER fáceis de fazer! É só triturar tudo, verter nas forminhas e voilà. São óptimos tanto para o pequeno-almoço, como para um lanchinho fácil de transportar e de comer em qualquer lugar.

 

Ingredientes (para cerca de 6 queques pequenos):

• 1 ovo
• 1 cenoura ralada
• 60gr de aveia em flocos finos
• 20gr de farinha de arroz
• 80ml de bebida vegetal ou água (utilizei água)
• 1 colher de sopa de açúcar de côco
• 1 colher de sopa de fermento
• canela a gosto

Muffins2.png

 

Preparação:

Num recipiente, juntar o ovo, a cenoura ralada e a água e triturar com a varinha mágica.

 

Acrescentar a aveia, a farinha de arroz, o açúcar de côco e a canela e voltar a triturar. Por fim, adicionar o fermento e envolver na massa.

 

Colocar a massa em forminhas de silicone e levar ao forno a 180º durante cerca de 20 minutos (vai depender da potência do forno).

 

Servir com fruta fresca a gosto e um quadradinho de chocolate preto (derreti mesmo no microondas para ser mais rápido!).

 

Bom apetite! ❤

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Bolo de caneca de aveia, chocolate e banana

por Catarina Ferreira, em 02.03.18

BolodeCanecaEdit1.png

Quantas vezes nos apetece um bolinho saboroso e docinho para o lanche, um pequeno-almoço diferente ou até, quem sabe até, uma sobremesa, mas não temos vontade de sujar uma montanha de loiça e preferíamos uma alternativa individual (e que ficasse logo despachada, para não haver mais tentações)? 

 

Esta receita (se é que lhe posso chamar receita, porque é tão simples!) é perfeita para essas ocasiões: um bolinho feito na caneca ou, vá, em qualquer recipiente fofinho que possa ir ao microondas em apenas três minutos. Um bolinho que satisfaz o desejo de doce e, ainda por cima, é saudável! Sim, leram perfeitamente: é saudável, nutritivo e maravilhoso para quando a gula ataca.

 

Não vão resistir a experimentar, pois não?! 

Ingredientes (para 1 bolinho):

• 1 ovo
• 1/2 banana madura
• 2 colheres de sopa de flocos de aveia
• 1 colher de sopa de farinha de aveia com sabor a chocolate (é opcional, podem substituir por mais 1 colher de sopa de flocos de aveia + 1 colher de sopa de cacau magro em pó)
• 1 colher de sobremesa de fermento em pó
• canela a gosto
• óleo de côco (para untar)

BolodeCanecaEdit3.png

Preparação:

Partir o ovo para uma tigela, acrescentar a banana esmagada, a aveia, o fermento e a canela.

 

Triturar tudo com a varinha mágica e levar ao microondas num recipiente próprio untado com óleo de côco durante três minutos ou até estar cozido (depende da potência do vosso microondas).

 

Servir com 'toppings' a gosto: eu escolhi framboesas, manteiga de amendoim crocante e côco ralado.

BolodeCanecaEdit2.png

 

Bom apetite! ❤

Autoria e outros dados (tags, etc)

Caril de grão-de-bico e legumes

por Catarina Ferreira, em 06.02.18

 

 

Caril1Novo.png

Adoro a culinária indiana!

 

Os sabores, os aromas, as combinações de especiarias... tudo me fascina, em especial o caril (e o pão naan com manteiga de alho, mas essa parte é segredo, cof cof)! Além disso, o facto de não ter de me preocupar quando como num restaurante indiano por saber que há sempre opções sem carne ou peixe é um descanso - e uma das coisas que me faz sempre voltar!

 

A receita que hoje vos trago é a do meu caril preferido: um caril de grão-de-bico muito fácil de fazer, super aromático, com umas cores lindas e que conforta o olho e a barriguinha!

 

Ingredientes:

• 1 lata grande de grão-de-bico cozido

• 1 lata pequena de cogumelos laminados 

• 1/2 cebola

• 1 mini-pimento vermelho + 1 mini-pimento amarelo

• 1 cenoura ralada 

• 4 colheres de sopa de caril em pó

• 1 colher de sopa de cominhos em pó

• 200 ml de natas light (ou "natas" de soja, para uma versão 100% vegan)

• sal, água e azeite q.b.

Caril2Novo.png

Preparação:

Picar a cebola e, num tacho grande, refogá-la num fio de azeite. Quando começar a dourar, acrescentar os cogumelos e deixá-los cozinhar até que murchem. Adicionar a cenoura ralada e o pimento, cortado em pedacinhos e, depois de amolecerem, temperar com sal a gosto, juntar o caril em pó e os cominhos e envolver bem.

Escorrer o grão-de-bico e juntar ao tacho, voltando a envolver. Assim que o grão ganhar a cor do caril, adicionar as natas, misturar bem e deixar levantar fervura. Se o molho estiver demasiado grosso, basta acrescentar um pouco de água até chegar à textura desejada (eu prefiro que não seja muito líquido!). Depois de ferver, é só rectificar o sal e servir com coentros frescos, acompanhado de arroz basmati.

Caril3Novo.png

 

Bom apetite! ❤

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quiche de espinafres, cogumelos e alho-francês

por Catarina Ferreira, em 22.01.18

3quiche.jpg

Adoro quiches.

 

Porquê? Pelas mesmas razões que, certamente, vocês também as adoram! São práticas (dão um jeitão para as marmitas do trabalho ou para um almoço ou jantar rápido durante a semana, por exemplo!), podem ser muito leves, desde que sejamos cuidadosos na escolha dos ingredientes e, melhor ainda, são deliciosas!

 

Como tinha uma embalagem de massa quebrada quase a passar da validade, optei por utilizá-la nesta receita, mas, se preferirem, podem fazer a vossa própria massa ou até dispensá-la porque esta quiche se mantém bastante homogénea mesmo sem base. É muito simples e o iogurte, além de acrescentar uma boa dose de proteína, substitui as natas na perfeição. Juro que não vão dar pela falta delas! 

 

Ingredientes:

• 4 ovos M

• 1 iogurte skyr (125g)

• 1/2 cebola

• 2 dentes de alho

• 170g de espinafres baby

• 1 lata de cogumelos laminados

• 1 talo de alho-francês (sem a rama)

• queijo mozzarella ralado a gosto

• sal, alho em pó, orégãos e azeite q.b.

• 1 embalagem de massa quebrada

 

1quiche.jpg

Preparação:

Para o recheio, começar por picar a cebola e o alho, cortar o alho francês em rodelas e as folhas de espinafres em juliana para que murchem mais rapidamente. Numa frigideira grande, saltear a cebola e o alho com um fio de azeite até que a cebola fique translúcida. Acrescentar o alho francês e deixar amolecer. Juntar os cogumelos e, quando começarem a dourar, juntar, gradualmente, os espinafres até que encolham. Reservar.

 

Numa tigela à parte, bater os ovos com o iogurte, temperar com sal, alho em pó e orégãos e acrescentar o queijo mozzarella à mistura, envolvendo bem. Forrar uma tarteira ou forma redonda com papel vegetal, acomodar a massa quebrada na forma e distribuir o recheio uniformemente. Verter por cima a mistura dos ovos com o iogurte, agitar gentilmente a tarteira para que a mistura se espalhe e cobrir com um pouco mais de mozzarella para gratinar.

 

Levar ao forno a 180º durante cerca de 40 minutos ou até que a massa esteja cozida e o recheio tenha dourado.

 

2quiche.jpg

 

Bom apetite! ❤

Autoria e outros dados (tags, etc)

Croquetes de grão-de-bico e cenoura

por Catarina Ferreira, em 15.01.18

croq1.jpg

Há qualquer coisa de especial nos croquetes.

 

Sempre que alguém fala neles, ainda me vêm à memória, mais de 20 anos depois, os croquetes da minha avó Natália, que os fazia como ninguém faz - e como nunca mais ninguém fez. Embora eu nunca tenha gostado de carne e a textura e sabor me tenham incomodado desde que me lembro de ficar sozinha à mesa, eu, uma pequena Catarina, até às tantas da tarde, a fazer bolinhas de "chicha" no canto da bochecha, os croquetes que a avó Natália fazia eram, provavelmente, a única iguaria carnívora que eu comia sem torcer o nariz e de que ainda hoje me recordo com saudade.

 

Os croquetes que hoje vos trago, transformados na minha própria versão, são deliciosos e um exemplo perfeito de que um croquete vegetariano pode ser super nutritivo, apetitoso e, principalmente, saboroso! Quer os sirvam como petisco ou prato principal com um belo arrozinho (como eu fiz, porque sou uma arrozeira!) ou com uma salada, podem ter a certeza de que vale muito a pena experimentar... e repetir! :-)

 

croq2.jpg

 

Ingredientes (para cerca de 10 croquetes grandes):

• 1 lata grande de grão-de-bico cozido

• 1 cenoura

• 1/2 cebola

• 3 dentes de alho

• coentros frescos, alho em pó, pimentão doce e cominhos a gosto

• azeite q.b. (para o refogado)

• sal marinho q.b.

• 4 csopa de pão ralado (para a massa dos croquetes)

• 1 ovo + pão ralado q.b. para panar

 

Preparação:

Escorrer o grão e tritutá-lo até obter um puré com a varinha mágica (ou um processador de alimentos). Triturar também a cenoura numa picadora até ficar em pequenos pedacinhos (ou, se preferirem, ralá-la), juntar ao puré de grão e reservar.

 

Num tacho ou frigideira grande, refogar a cebola e o alho até que a cebola fique translúcida, acrescentar o puré de grão e a cenoura, temperar com sal, alho em pó, pimentão doce e cominhos e envolver bem até que que a "massa" dos croquetes fique homogénea. Juntar o pão ralado e voltar a envolver, deixar cozinhar um pouco e retirar do lume.

 

Colocar a "massa" dos croquetes numa taça grande, cobrir com papel aderente e levar ao frigorífico durante cerca de uma hora para que arrefeça e endureça ligeiramente. Quando arrefecer completamente, é só moldar os croquetes e passá-los por um ovo batido e pelo pão ralado para panar. Caso prefiram, o pão ralado pode ser substituído por farinha de aveia ou de amêndoa! Depois de prontos, podem dourar os croquete na frigideira com um fio de azeite (como fiz aqui!), levá-los ao forno ou congelá-los para mais tarde.

 

croq3.jpg

Bom apetite! ❤

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

As minhas waffles de aveia infalíveis!

por Catarina Ferreira, em 10.01.18

wafflesdeaveia.png

Desconfio que entre todas as esfomeadas gulosas corajosas almas que já se aventuraram no mundo das waffles, não há quem tenha escapado ao drama da massa agarrada às placas, da tentativa de limpar, com muito cuidadinho, a crosta daquilo que deveria ser uma waffle porque diz que o material é antiaderente (balelas!) e não queremos dar cabo dele e, principalmente, não há quem nunca tenha dito "waffles, nunca mais!" para logo na semana a seguir cair na mesma desgraça. Falo por mim.

 

É por isso que digo que estas waffles são infalíveis - em minha defesa, pelo menos até hoje! Nunca ficam coladas à máquina, com textura de sola de sapato ou douradinhas por fora e cruas por dentro. Ficam perfeitas, fofinhas (graças à farinha de côco) e são a minha escolha para quando apetece uma receita de waffles simples, rápida e saudável! :-)

 

Ingredientes (para 4 waffles médias):

• 2 ovos

• 6 colheres de sopa de bebida vegetal (usei de aveia)

• 6 colheres de sopa de farinha de aveia com sabor (usei com sabor a bolacha Maria, mas também podem usar farinha de aveia sem sabor e acrescentar, por exemplo, uma colher de sopa de cacau em pó com uma colher de sopa de açúcar de côco para waffles de chocolate!)

• 2 colheres de sopa de farinha de côco

• 2 colheres de sopa de linhaça dourada moída

• 1 colher de chá de fermento 

• canela em pó q.b.

• fruta fresca e mel a gosto para servir 

wafflesdeaveia2.png

Preparação:

Numa tigela colocar as farinhas, a linhaça, o fermento e a canela e envolver bem. Juntar o ovo e a bebida vegetal e misturar até obter uma massa homogénea. Untar as placas da máquina de waffles com óleo de côco, esperar até que a máquina fique bem quente e despejar a massa para fazer as waffles. 

Deixar as waffles cozinhar durante cerca de cinco minutos ou até estarem douradas e servir de imediato com morangos, banana, canela e um fio de mel ou com os vossos toppings preferidos. 

 

Bom apetite! ❤

Autoria e outros dados (tags, etc)


Quem cozinha?



Catarina | 27 | Portugal
Jornalista, ovolactovegetariana desde que me lembro de ser gente, carangueja porque os astros assim entenderam, actual vítima do desconfortável mas milagroso flagelo do aparelho dentário, entusiasta e exploradora recente do mundo da culinária - saudável, de preferência... mas não só!

No Instagram



Arquivo de Receitas

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

Pesquisar no blog

  Pesquisar no Blog